Carregando...
 
       
     
     
     
     
    A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 13/09/2017 10h41

    Turista paulista teria sido executado por engano em Florianópolis

    Foto: Reprodução /Facebook

    A delegacia de homicídios da Capital já identificou suspeitos da autoria da execução de um turista paulista segunda-feira no Norte da Ilha. O assassinato do Jadson Andrade, 30 anos, foi filmado pelos autores do crime. A vítima negava pertencer a uma facção criminosa rival, de São Paulo, como acusavam os executores

    O corpo foi encontrado na manhã de segunda-feira na Praia do Moçambique. O delegado de Homícidios Ênio de Oliveira Matos diz que a linha de investigação é de que ele teria mesmo sido confundido. 

    Em imagens da execução que circulam em redes sociais, Jadson aparece em um carro com outros homens, com ferimento na boca e ao menos duas armas apontadas para a região da sua cabeça.

    Nos diálogos, os homens pedem que ele admita ser de um grupo criminoso rival que atua em São Paulo. Jadson nega e diz trabalhar como promotor em uma empresa de cervejas. Em outro vídeo, ele aparece sendo executado a tiros. Ao menos três pessoas podem ser vistas nas imagens. É possível ouvir os criminosos comemorando e enaltecendo o nome de sua organização.

    Segundo amigos e familiares, Jadson estava de férias e aproveitou o feriado prolongado de 7 de Setembro para viajar com uma amiga. O destino escolhido foi Florianópolis. Na noite de domingo (10), ele saiu para dar uma volta. Foi sozinho, pois a amiga não estava se sentindo bem, segundo o amigo Douglas Falcão.

    No dia seguinte, a amiga iniciou a procura por Jadson em delegacias, hospitais e no IML, quando soube de um corpo que havia sido localizado e tinha as características de Jadson. Lá, ela reconheceu o amigo.

    CBN Diário