Carregando...
 
       
     
     
     
     
    A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 26/11/2018 12h02

    Testes rápidos e gratuitos de HIV são oferecidos em São José

    Mobilização para o Dia Mundial da Luta contra Aids vai até sexta-feira (30).

    Como sábado (1º) é Dia Mundial da Luta contra Aids, desde esta segunda (26) até sexta-feira (30), ocorre em São José uma mobilização para prevenir e detectar a doença. Testes rápidos e gratuitos de HIV, sífilis, hepatites B e C são feitos no Centro de Vigilância em Saúde, que fica na praça Arnoldo Souza, no Centro Histórico, e nas Policlínicas do município.O atendimento é oferecido das 7h30 às 17h30. 

    "Não é necessário estar em jejum, o teste é feito com uma picada no dedo e fica pronto em 30 minutos. É necessário apenas que se leve a identidade e o cartão nacional do SUS", explicou a  gerente de vigilância em Saúde Patrícia Rodrigues.

    Atualmente, 2,2 mil pessoas estão em tratamento contra o HIV em São José. "Quanto antes a gente descobre, antes a pessoa tem acesso ao tratamento, o que a mantém saudável, com qualidade de vida e também reduz o risco de transmissão de novos casos", afirmou Patrícia. 

    Durante esta semana as equipes da Vigilância em Saúde vão percorrer locais como a Avenida Central do Kobrasol, universidades, indústrias e empresas, além do prédio da prefeitura e a região do Centro Histórico. Nesta abordagem, vão ser entregues kits de prevenção do HIV com informações e preservativos.

    Devido à falta de informação sobre o HIV entre a população, a maioria dos pacientes em tratamento em São José têm entre 30 e 45 anos, mas há um número de crescente de jovens contraindo a doença, conforme Patrícia Rodrigues. Dos 21 novos casos registrados no último mês, 15 deles eram de jovens de até 24 anos. 

    "Existe um preconceito muito grande, com relação ao HIV, o que faz com que as pessoas não busquem a sua condição sorológica e até mesmo procure se prevenir. Hoje, há tratamento, que é muito eficaz e tem o objetivo de cortar a cadeia de transmissão", explicou. 

    CBN Diário