Carregando...
 
       
     
     
     
     
    A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 14/11/2018 17h01

    Secretário da Saúde de SC lamenta saída de 255 cubanos do programa Mais Médicos

    Foto: Diorgenes Pandini /Diario Catarinense

    O secretário estadual da saúde, Acélio Casagrande, lamentou a decisão do governo cubano em se retirar do programa mais médicos do governo federal.

    — Eu lamento muito. O município que recebem o programa tem assistência de cobertura em programas de saúde da família em mais de 75%, bem melhor do que era antes. São médicos que vivem na comunidade, com dedicação exclusiva na atenção primária.

    O secretário afirmou que já fez um contato com a deputada federal Carmen Zanotto PPS/SC, integrante da comissão de saúde da Câmara dos Deputados, para criar um movimento para tentar reverter a decisão dos cubanos.

    — Vamos tentar reverter. É uma necessidade. Ajudou muito Santa Catarina.

    Hoje, são 255 médicos cubanos que atuam em duzentas cidades catarinenses. Segundo a secretaria estadual da saúde não há relatos de reclamações no atendimento feito pelos cubanos.

    O presidente do sindicato dos médicos de Santa Catarina, Ciro Soncini, acredita que é preciso “virar a página”.

    — Os indicadores não melhoram, continuamos com a “ambulancioterapia”, vamos rever a carreira de estado para os médicos.

    O Ministério da Saúde de Cuba atribui a decisão a "declarações ameaçadoras e depreciativas" do presidente eleito Jair Bolsonaro. São 16.707 profissionais que trabalham no Mais Médicos no Brasil; destes, 8556 são cubanos. 

    CBN Diário