Carregando...
 
       
     
     
     
     
    A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 11/08/2018 12h06

    Renúncia fiscal em Santa Catarina é uma "caixa-preta", diz presidente da Fecomércio-SC

    Foto: Elis Pereira /Divulgação

    A renúncia fiscal em Santa Catarina é uma "caixa-preta". A opinião é do presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio-SC), Bruno Breithaupt, em entrevista ao Notícia na Manhã, da CBN Diário, neste sábado (11). 

     Eu, como presidente da Fecomércio, não sei quem ganha e o quanto ganha. Já tentei essas informações e não consegui  afirma o presidente da entidade, que completou 70 anos nesta sexta-feira (10). 

    A secretaria da fazenda informa que não revela os beneficiários para não violar o sigilo fiscal. 

     Temos que ser transparentes, principalmente quando se trata de dinheiro público  conclui Breithaupt. 

    Nesta semana, a Assembleia legislativa aprovou a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). O texto já foi sancionado pelo governador Eduardo Pinho Moreira. 

    Pela nova regra, a fatia de isenções terá que comprometer no máximo 16% da arrecadação do Estado. Hoje, o valor equivale a 25% (R$ 5,93 bilhões) dos impostos que entram nos cofres públicos. 

    De acordo com o secretário da Fazenda estadual, Paulo Eli, a intenção é que o governo reduza o montante para R$ 4 bilhões em dois anos. 

    Hoje, produtos como filé mignon, salmão e bacalhau recebem benefícios fiscais. 

    Ouça a entrevista: 

    CBN Diário