Carregando...
 
       
     
     
     
     
    A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 18/05/2018 9h02

    Quatro frigoríficos de SC já estão autorizados a exportar carne suína à Coreia do Sul, diz ministro da Agricultura

    Autorização para o Brasil começar a vender o produto ao país asiático foi anunciado nesta quinta-feira (17)

    Foto: Plínio Bordin /Fiesc

    O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, anunciou a abertura da Coreia do Sul para o mercado de carne suína do Brasil. Esta era uma informação bastante aguardada, principalmente em Santa Catarina, que é o principal exportador do produto. Só no ano passado, mais de 40% das exportações brasileiras saíram da produção do estado. 

    Em missão na China, o ministro anunciou nesta quinta-feira (17) que, por enquanto, quatro frigoríficos catarinenses estão credenciados: Aurora de Chapecó, JBS de Seara, Pamplona de Presidente Getúlio e BRF de Campos Novos. O estado é zona livre de aftosa sem vacinação, reconhecida por certificação internacional desde 2007. Santa Catarina também é o único a exportar para o Japão.

     

     

    Blairo Maggi acredita que, em breve, outros estabelecimentos sejam habilitados à venda. O ministro viaja neste sábado (19) a Paris para receber da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) o certificado de país livre de febre aftosa com vacinação. 

    As negociações com o objetivo de abrir o mercado sul-coreano para a carne suína brasileira foram iniciadas em setembro de 2016. Missões técnicas vindas do país asiático verificaram os frigoríficos para emitir as habilitações necessárias. 

    Segundo o Ministério da Agricultura, o mercado de carne suína da Coreia do Sul movimenta atualmente US$ 1,5 bilhão por ano. A expectativa do setor é de que o Brasil exporte para este novo parceiro comercial mais de 30 mil toneladas do produto por ano. 

     

    CBN Diário