Carregando...
 
       
     
     
     
     
    A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 11/08/2017 18h59

    Prejuízo com bar flutuante que se soltou em Porto Belo é de R$ 30 mil

    Ressaca arrastou a estrutura por cinco quilômetros

    Foto: Luiz Carlos Souza /Especial

    O bar flutuante que foi parar nas areias da Meia Praia, em Itapema, nesta sexta-feira, estava ancorado a cerca de cinco quilômetros de distância, na baía do Caixa D'Aço, em Porto Belo. A estrutura estava ali há 18 anos e os proprietários dizem que haviam trocado as cordas esta semana. O prejuízo estimado é de mais de R$ 30 mil.

    Emiliano da Silva, um dos donos do bar flutuante, acredita que a estrutura se soltou por volta de meia-noite. Ele só soube do estrago pela manhã, quando amigos telefonaram contando o que havia acontecido. O bar era a única fonte de renda da família.

    — Trabalhava na temporada todos os dias e durante o ano, final de semana e feriado. Agora aconteceu essa desgraça. Mas o importante é que não aconteceu nenhuma tragédia — diz.

    Foto: Luiz Carlos Souza / Especial

    A delegacia da Capitania dos Portos de Itajaí informou que vai instaurar um inquérito para investigar as causas do incidente. 

    Embora não tenha acompanhado diretamente o caso de Porto Belo, o presidente da Praticagem de Itajaí e Navegantes, Alexandre Gonçalves da Rocha, explica que é possível que tenha ocorrido um fenômeno chamado de difração, em que a onda tem um comprimento suficiente para se estender pela costa e causar estragos até mesmo em áreas protegidas — como é o caso do Caixa D`Aço.

    Diário Catarinense
     
    Comentários