Carregando...
 
       
     
     
     
     
    A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 13/11/2017 7h43

    Prefeitura de Florianópolis confirma sondagem da F-1, mas vê dificuldades operacionais

    Impacto no trânsito é o principal entrave, diz o superintendente de turismo da Capital

    Traçado passaria pela Avenida Beira-mar, umas das principais artérias do tráfego urbano

    Foto: Diorgenes Pandini /Diario Catarinense

    O superintendente de turismo de Florianópolis, Vinicius de Luca Filho, confirmou na tarde deste domingo que a promotora de eventos da Fórmula 1 demonstrou interesse em trazer o GP do Brasil para a capital catarinense a partir de 2020, quando termina o contrato com o autódromo de Interlagos, em São Paulo. No entanto, Luca disse que nenhum projeto foi apresentado até o momento e que o grande entrave para uma negociação seria a mobilidade urbana. Um evento desse porte complicaria ainda mais o já intrincado trânsito da cidade, ainda mais se fosse realizado em um circuito de rua na Avenida Beira-mar Norte, umas das principais artérias do tráfego urbano.

    A conversa informal sobre o assunto ocorreu em um evento de turismo no meio do ano. Segundo Luca, trata-se ainda de um assunto extra-oficial, porém o superintendente falou que a prefeitura está aberta para a negociação. O projeto a ser apresentado, no entanto, teria de ser bastante "redondo", a fim de evitar transtornos excessivos para os moradores da capital. 

    Além disso, ele ressaltou que o evento teria de ser praticamente todo custeado pela iniciativa privada, com a prefeitura fornecendo apoio operacional. Como exemplo, ele citou a instalação de arquibancadas móveis. Vale lembrar ainda que, durante um Grande Prêmio, os treinos livres iniciam ainda na sexta-feira, um dos dias com trânsito mais complicado em Florianópolis.

    — A questão crucial é mesmo o trânsito. Teremos todo um carinho para tratar essas possibilidades, porém o projeto precisa bem adequado, redondo. Vamos conversar quando o projeto chegar — disse Luca. 

     

    Diário Catarinense