Carregando...
 
       
     
     
     
     
    A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 17/05/2019 9h29

    Praia no México onde morreu bodyboarder de Floripa é uma das mais perigosas do mundo

    Foto: Edwin Morales Photography /Arquivo pessoal

    Pelas redes sociais de Rafael Piccoli, morador de Florianópolis, era possível perceber que ele curtia bastante esportes radicais. Em mais uma aventura em sua vida, o praticante de bodyboading, de 38 anos de idade, estava em Puerto Escondido, no México. Experiente com a prancha, o rapaz encarou as grandes ondas da praia de Zicatela, uma das mais temidas e perigosas do mundo. Infelizmente, ele acabou perdendo a vida no local na tarde desta terça-feira (14). 

    De acordo com informações de agências de notícias direto do México, o corpo de Rafael foi encontrado flutuando na água, sendo avistado por pescadores e visitantes. Ele teria sofrido lesões na cabeça e no pescoço, possivelmente provocadas pelo impacto das ondas ou da areia no fundo do mar. 

    Rafael Piccoli costumava frequentar a Praia Brava, no Norte da Ilha de SC. O amigo da família e surfista Rodrigo Ferreira, o Kiko - dono de um restaurante de comida mexicana em Coqueiros chamado de Puerto Escondido, praia que ele conhece desde 1998 - conta que muitos encaram as ondas de Zicatela pelo desafio, que podem passar de 10 metros de altura. No dia em que houve o acidente, elas chegaram a aproximadamente quatro metros. 

    Segundo informações de pessoas próximas à família de Rafael, o corpo do bodyboarder deve ser cremado no México, e as cinzas devem ser levadas por um dos amigos que estavam na viagem com ele no fim deste mês. 

    Ouça a entrevista com o surfista Rodrigo Ferreira: 

    CBN Diário