Carregando...
 
       
     
     
     
     
    A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 08/12/2017 11h15

    PM admite “ano terrível”, mas destaca redução no número de mortes violentas na Capital no segundo semestre

    Coronel Araújo Gomes revela que 280 armas foram apreendidas, quase uma por dia

    Foto: Marco Favero /Diário Catarinense

    Florianópolis atingiu a marca de 161 mortes violentas em 2017, contra 92 em todo o ano passado. Mesmo assim, a Polícia Militar afirma que o número caiu no segundo semestre, após uma explosão de violência no primeiro.

    “Florianópolis está tendo um ano terrível em relação aos homicídios. Mas, quando se observa o gráfico, percebe-se um primeiro trimestre pavoroso. Começamos a realizar intervenções sucessivas e esse gráfico foi retornando a patamares mais próximos dos anos anteriores”, afirmou o sub-comandante da PM, coronel Araújo Gomes, em entrevista ao Notícia na Manhã desta sexta-feira. Segundo ele, houve 56 casos no segundo semestre até agora, contra mais de 100 no primeiro.

    “O número total chama a atenção e acendeu a luz vermelha”, reconhece. Para Araújo Gomes, entre as principais ações está a apreensão de 280 armas. “Mais da metade era de alto calibre e boa parte delas contrabandeadas de outros países. Cada arma previne um número incontável de roubos ou homicídios”, destaca.

    Araújo Gomes exalta intervenções conjuntas de repressão e urbanização em comunidades impactadas pela violência. “A Favela do Siri, que era uma das mais violentas, está desde abril sem mortes provocadas por civis. A última morte foi em maio, em confronto com a polícia. Chegamos a demolir casas em áreas de preservação e que eram ocupadas pelo tráfico.”

    Ouça a entrevista aqui:

    CBN Diário