Carregando...
 
       
     
     
     
     
    A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 20/03/2018 16h08

    Pinho Moreira avalia a possibilidade de aliança com o PSD: "Eu não sei quem está no comando do partido hoje"

    Foto: Betina Humeres /Diário Catarinense

    O governador Eduardo Pinho Moreira (PMDB) garantiu que não vai atrasar salários, nem mesmo o 13º, mas alertou para a necessidade de cortes de gastos. Em entrevista à CBN Diário, ao chegar à sede da Fiesc para reunião do Grupo de Líderes Empresariais (Lide) nesta terça-feira, Moreira avaliou os 30 dias de governo, disse que as prioridades são saúde e segurança e avaliou o cenário eleitoral como indefinido.

    "Temos uma folha ultrapassando o limite prudencial com dificuldades para investimentos. Estamos buscando financiamento via BNDES para continuar obras. Temos que reduzir pessoal: vamos eliminar mais CCs e destinar recursos em beneficio da população", afirmou o governador. 

    Ainda nesta terça-feira, Moreira teria reunião com o desembargador Rodrigo Colaço, presidente do TJ-SC. Ele tenta negociar a devolução de recursos para o poder executivo.

    Sobre a possibilidade de PMDB e PSD manter a união dos últimos pleitos estaduais, Moreira disse: "Eu não sei quem está no comando do partido hoje". O presidente do PSD é o deputado Gelson Merisio, pré-candidato ao governo.

    O governador respondeu também sobre o projeto de construção da quarta ponte, assunto trazido pelo colunista Cacau Menezes, que chegaria à Ilha pela região da Tapera. Pinho Moreira defende uma parceria público-privada para viabilizar essa obra.

    CBN Diário