Carregando...
 
       
     
     
     
     
    A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 21/09/2017 16h30

    Parceria entre Bombeiros e Samu unifica atendimento de emergência em Florianópolis 

    Protocolo foi assinado em evento na manhã desta quinta-feira

    Foto: anderson silva /Diário Catarinense

    O Corpo de Bombeiros e a prefeitura de Florianópolis assinaram na manhã desta quinta-feira um convênio de parceria para que as ambulâncias do Samu possam fazer parte da rede de atendimento de emergência dos militares. Dessa forma, serão nove viaturas divididas em quatro sedes para atender a Capital.

    Atualmente, o Samu tem quatro ambulâncias e os Bombeiros cinco. Elas ficam em diferentes prédios. Com o novo formato, os veículos estarão nas bases dos bombeiros no Estreito, Canasvieiras, Trindade e Costeira do Pirajubaé. Os chamados vão continuar sendo feitos pelo 192 (Samu) e o 193 (Bombeiros). O que muda, segundo o comandante do 1º Batalhão da Capital, tenente-coronel Helton Zeferino, é a rapidez no atendimento:

    - Ganhamos em agilidade. Como não era integrado, os atendimentos eram feitos separados. Haverá uma descentralização das viaturas - garante. 

    Os envolvidos na parceria garantem que não haverá demissões por conta da unificação. Na prática, sempre que ocorrer um chamado, mesmo que ele ocorra para os dois telefones, cada unidade vai avaliar a ambulância que deve ser enviada. A diminuição no tempo de atendimento vai variar conforme o tipo de ocorrência, segundo Zeferino.

    O secretário municipal de Saúde, Carlos Alberto Justus da Silva, explica que os recursos vão continuar sendo repassados pela prefeitura e pelo Ministério da Saúde, mas em breve haverá uma gestão única do serviço.

    - Os dois serviços apresentam problemas e vamos nos indiciar para melhoras sob um único comando - afirma o secretário. 

    Essa parceria é diferente da anunciada pelo Corpo de Bombeiros e Secretaria de Saúde do Estado recentemente, onde haverá uma união da regulação e dos atendimentos de alta complexidade em todas as regiões. Na Capital, apenas a rede básica de ambulâncias será unificada.

    Ouça a reportagem:

    Diário Catarinense