Carregando...
 
       
     
     
     
     
    A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 06/12/2017 18h20

    Marquinhos pede tranquilidade para Avaí dar a volta por cima

    Meia diz que queda machuca dobrado, já que ele é jogador e torcedor do clube

    Ídolo avaiano diz que é preciso trabalhar para recuperar

    Foto: Cristiano Estrela /Agencia RBS

    O ano para o Avaí terminou, mas não da forma que todos queriam. O time foi rebaixado para a Série B de 2018 e agora o momento é de preparar o clube para dar a volta por cima já na temporada seguinte. Mas é claro que muita coisa vai andar só depois da eleição, que acontece neste sábado. Mesmo assim, o meia Marquinhos, que participou do programa Debate Diário desta quarta-feira, pediu calma e muito trabalho para a equipe buscar o acesso já na próxima temporada.

    O ídolo do Leão da Ilha disse na saída de campo em Santos que o Avaí não foi rebaixado com o empate de domingo, mas sim por alguns erros do time e também de arbitragem que aconteceram ao longo da competição. Nesta quarta-feira, três dias após a queda e de cabeça mais fria, Marquinhos falou sobre o momento que o clube vive. "A gente vai recuperar, vai trabalhar. É claro que uma queda assim machuca bastante o torcedor, machuca os jogadores e como eu sou um um jogador e torcedor, machuca dobrado. Mas é cabeça tranquila, levantar a cabeça, dar a volta por cima, pois eu já subi o Avaí três vezes e nada me impede de subir a quarta. Esse é um ano mais promissor, pois foi pago tudo em dia. Uma outra situação é que a gente devia 20 milhões, 22 milhões e hoje a gente deve três, quatro milhões. Então optou-se em pagar as dívidas e tentar ficar na Série A ao mesmo tempo. Quase deu certo. O clube não vai acabar por causa disso", disse o capitão do Leão. 

    Próxima temporada

    Para 2018, Marquinhos citou o que deveria ser feito de diferente para que o time tenha uma situação melhor. "Quando acontece a situação ruim, a gente tenta achar alguns argumentos do que não faria. Mas vou falar. Acho que nós jogadores deveríamos fazer da Ressacada um ponto forte. Não podemos cobrar nada de nosso torcedor. Deveríamos fazer um caldeirão, pois os adversários já sofreram com a gente aqui dentro, pois nós perdemos praticamente a nossa permanência dentro de casa", declarou Marquinhos.

    Sobre uma possível permanência do técnico Claudinei Oliveira, o meia disse que conversaria com ele para ver o que o profissional poderia dar a mais no seu trabalho para ajudar o clube. "Eu conversaria com ele sim, pois se for buscar outro, ele vai chegar aqui, ter que se adaptar com o time, com o clube. Com o Claudinei, não teríamos esse problema. Então eu sentaria, conversaria e ficaria com ele sim", declarou o jogador.

    Formação do elenco

    Em relação ao elenco, dos 18 atletas que terminam seus contratos agora em dezembro, cinco a direção do Avaí tem o interesse de renovar; Maicon, João Paulo, Judson, Caio Cesar e Pedro Castro. De acordo com o Diretor de Futebol do clube, Joceli dos Santos, as conversas vão ocorrer após o processo eleitoral e ele tem a esperança de conseguir contar com esses jogadores no próximo ano.

    Sobre novos atletas, em um primeiro momento, a direção deve buscar um goleiro, um meia e até dois atacantes. Apesar de estar ainda nesse momento de eleição, os dirigentes já estão de olho no mercado observando atletas que podem contribuir com a equipe na próxima temporada.

    Ouça a entrevista do meia Marquinhos 

    CBN Diário