Carregando...
 
       
     
     
     
     
    A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 13/11/2018 11h06

    Justiça revoga prisão domiciliar e condenado a mais de 77 anos volta a presídio

    A Justiça revogou a prisão domiciliar concedida a um homem condenado a mais de 77 anos de prisão em Lebon Regis, no Meio-Oeste de Santa Catarina. O réu estava a três anos no regime domiciliar por alegar problemas cardíacos. 

    O réu tem condenação pela prática de dois homicídios qualificados, um homicídio simples, sete tentativas de homicídios qualificados, entre outros crimes. Segundo o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), a condição de saúde não o impede de cumprir com a pena em um presídio.

    O homem está preso desde 2006. Em 2015, após ser avaliado pela equipe médica da penitenciária de São Cristóvão do Sul, foi submetido a uma cirurgia cardíaca. O detento recebeu o direito de cumprir a pena em prisão domiciliar, desde que, entre outras condições, informasse sobre o desenvolvimento de seu tratamento e seu estado de saúde. 

    Entre 2016 e 2017, o detento casou-se, matriculou-se em curso supletivo e pediu autorização para frequentar cultos evangélicos.

    Segundo o promotor de Justiça Paulo Henrique Lorenzetti da Silva, "embora louvável que o apenado queira reconstruir sua vida (...), tais fatos demonstram que sua condição de saúde melhorou e poderia retorna ao presídio para continuar o cumprimento de sua pena, local muito mais monótono do que a vida extramuros". 

    O pedido de revogação foi feito pela Promotoria de Justiça da Comarca de Lebon Régis, embasado por perícia médica, a partir da solicitação do Ministério Público, e também pelas informações de que a ala médica da penitenciária poderia ministrar o tratamento do homem.

    Com a revogação da prisão domiciliar, o apenado retornou ao sistema carcerário no início de novembro deste ano. 

    Ouça as informações: 

    CBN Diário