Carregando...
 
       
     
     
     
     
    A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 20/09/2016 16h40

    Justiça americana marca julgamento do caso Fifa para novembro de 2017

    A expectativa é que o julgamento do escândalo dure seis semanas

    José Maria Marin foi deportado para os Estados Unidos em novembro de 2015

    Foto: Brendan McDermid /REUTERS

    O julgamento do caso de corrupção da Fifa tem uma nova data: 6 de novembro de 2017. Segundo o canal SporTV, a nova juíza que cuida do caso, Pamela Chen, anunciou a mudança do dia nesta terça-feira. A expectativa é que o julgamento, que ocorrerá nos Estados Unidos, dure seis semanas.

    Entre os réus está o ex-presidente da CBF, José Maria Marin. Os advogados do ex-dirigente, que cumpre prisão domiciliar em Nova York desde que foi extraditado da Suíça em novembro do ano passado, afirmaram à emissora que querem que Marin seja julgado separadamente.

    — Nós entendemos que o grosso das acusações não se referem ao nosso cliente. Existem mais de 250 pedidos de condenações diferentes, são 27 réus presentes, 11 conspiradores nomeados, temos 24 conspiradores não nomeados. Nesse momento, a ideia é que vamos querer um julgamento separado para o nosso cliente - afirmou o advogado Júlio Barbosa em entrevista ao SporTV.

    A pedido dos advogos, que foi aceito pela nova juíza do caso, o ex-presidente da CBF não compareceu à audiência marcada para a última segunda-feira em Nova York. Foi a primeira vez que Marin não foi ao tribunal.

    Segundo a reportagem, Marin conseguiu ampliar de um para quatro dias na semana a permissão para deixar o prédio onde mora, sempre acompanhado por segurança.

    *ZHESPORTES

    Zero Hora