Carregando...
 
       
     
     
     
     
    A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 21/11/2018 15h43

    Governo de SC aposta na integração de órgãos estaduais para Operação Veraneio

    Foto: Lucas Correia /Agencia RBS

    As estratégias nas áreas de segurança e infraestrutura a serem adotadas durante o verão em Santa Catarina foram apresentadas na manhã desta quarta-feira (21) pelo governo do estado, durante o pré-lançamento da Operação Veraneio. De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança, a operação aposta na integração de órgãos do governo para otimizar o trabalho. A operação compreenderá 81 dias de atuação em 31 municípios, em que 561 quilômetros de litoral serão fiscalizados e 163 balneários protegidos. 

    O estado contará com  405 postos de guarda-vidas e ainda com a atuação de ao menos 9 mil profissionais de segurança pública, incluindo mil guarda-vidas civis contratados para temporada. Ao menos de 2 mil viaturas, entre helicópteros, triciclos e carros estarão à disposição das equipes. 

    A operação se divide em faixas temporais, a pré-temporada, temporada e pós-temporada. A pré-temporada tem atuação do Corpo de Bombeiros e começou em 4 de outubro. Até agora, são mais de 600 ocorrências registradas, a maioria delas de queimaduras de água-viva e casos de crianças perdidas na praia. A temporada começa em 21 de dezembro e vai até 11 de março de 2019. A pós-temporada compreende a permanência do Corpo de Bombeiros em áreas consideradas estratégicas. 

    Representantes da Companhia Catarinense de Água e Saneamento (Casan), Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc), Marinha, da Polícia Rodoviária Federal (PRF)  e Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive) participaram de um evento nesta manhã na Secretaria de Estado da Cultura em Florianópolis em que apresentaram o trabalho desses órgãos durante a temporada. 

    Abastecimento

    A Celesc, por exemplo, informou que terá 36 equipes extras de eletricistas para atender emergências nas regiões de Florianópolis, Joinville, Itajaí, Tubarão e Criciúma. Isso porque nesse período, há um aumento da população após a chegada dos turistas e o consequente crescimento do consumo de energia elétrica. Para evitar imprevistos, investiu em obras no sistema elétrico de alta tensão e ainda na manutenção de equipamentos.

    A Casan também aposta em um incremento em infraetrutura para garantir abastecimento durante a temporada. "O problema de falta de água na temporada foi minimizado há três anos. Este ano, além do flocodecantador, que é de 2016, este ano tivemos a nova adutora de 1,2 mil milímetros que nos dá tranquilidade para afirmar que não faltará água mesmo com o grande número de turistas", afirmou o diretor-presidente da Casan Adriano Zanoto. 

    Prevenção

    O diretor Eduardo Macário explicou que uma das prioridades da Dive é a orientação da população sobre os riscos de animais peçonhentos, para quem faz trilhas no verão, e a vacinação contra febre amarela e sarampo. "Estamos orientando as pessoas a não irem a esses locais de mata muito fechada e no caso de acidentes, de que procurem as unidades de saúde, que estão abastecidas com soro para fazer todo o tratamento. Embora não tenha casos de sarampo e febre amarela no estado, aqui é um lugar em que a vacinação é recomendada", disse Macário.

    O Superintendente da Polícia Rodoviária Federal (PRF) Carlos Magno da Cruz Júnior afirmou que a corporação deve aumentar o número de radares para prevenir o excesso de velocidade e evitar acidentes. As rodovias que serão foco de fiscalização da PRF são a BR-282, BR-470, BR-280 e BR-116. "Aqui no estado, vamos dar atenção não só a rodovias do litoral, mas as que dão acesso a ele. Teremos operações de Lei Seca e, além de intensificar a fiscalização para evitar o excesso de velocidade, vamos focar nas ultrapassagens indevidas", explicou Magno. 

    De acordo com o Capitão Marcos Maia, a fiscalização da Marinha também se intensifica durante o verão devido ao aumento do número de embarcações nesse período. "Nosso objetivo é coibir infrações, como pilotar embarcações em habilitação, alcoolemia. Agora, teremos auxílio de policiais civis que usarão o etilômetro para fiscalização. O uso do álcool leva a acidentes fatais. Essa é a nossa maior preocupação", disse Maia. 

    A Polícia Civil também informou que terá reforço de 436 agentes em 36 cidades, além  de delegacias móveis  em vários balneários para atuar sobretudo na prevenção de desaparecimento de crianças. Está previsto apoio do consulado da Argentina, com auxilio de policiais daquele país em situações críticas, e ainda a atuação de policiais bilíngues. 

     

     

     

     

    CBN Diário