Carregando...
 
       
     
     
     
     
    A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 21/03/2018 6h36

    Figueira sai em vantagem no julgamento dos episódios do clássico

    Alvinegro teve apenas um punido contra três do Avaí

    Julgamento da confusão do clássico terminou na madrugada desta quarta

    Foto: Marco Favero /Diário Catarinense

    Em um julgamento longo no TJD-SC que entrou na madrugada desta quarta-feira (21), as confusões do clássico foram julgadas pela terceira comissão disciplinar. Pelo resultado, o Figueirense saiu vitorioso, já que apenas um denunciado foi penalizado, o volante Pereira. Do lado do Avaí, Marquinhos, Luanzinho e o técnico Claudinei Oliveira foram punidos pelos auditores do tribunal. Este julgamento foi em primeira instância e agora os clubes decidem se vão recorrer da decisão.

    O julgamento foi o quarto da pauta da noite de terça-feira (20) e só iniciou por volta das 20h30min. Pelo lado do Figueirense, todos os denunciados estavam presentes, o técnico Mílton Cruz, o auxiliar-técnico Ivan Izzo e o volante Pereira. Do lado avaiano, nenhum denunciado compareceu. Marquinhos treinou na tarde de terça-feira e não teria tempo de chegar no TJD, Luanzinho está com a Seleção Brasileira Sub-20 e o técnico Claudinei Oliveira só chegou em Florianópolis por volta das 19h devido ao atraso na volta de Chapecó.

    Com o início da julgamento, todos as provas foram apresentadas, inclusive as de vídeo e tudo foi calmamente analisado pelo auditores. Como os denunciados do Figueirense estavam presentes, eles também fizeram as suas defesas e isso contou para ter um resultado positivo. Após uma pausa, o julgamento foi retomado para as palavras finais e assim iniciar a votação, que também foi longa dos quatro auditores e mais o auditor relator.

    Nos primeiros minutos de quarta-feira, o resultado foi oficializado. No Avaí, Claudinei Oliveira pegou uma suspensão de seis jogos, Luanzinho e Marquinhos uma pena de quatro partidas. Os advogados do Leão da Ilha irão tentar um efeito suspensivo para o meia e para o técnico para que eles possam ficar a disposição para o confronto contra o Criciúma nesta quarta-feira, 21h45min, na Ressacada.

    No Figueirense, o volante Pereira pegou dois jogos de suspensão, enquanto Milton Cruz e seu auxiliar, Ivan Izzo, foram absolvidos. O clube também foi absolvido pela confusão no camarote da diretoria visitante, que alegou problemas com a torcida devido ao local destinado aos dirigentes do Avaí. Sobre a possibilidade de recorrer e pedir um efeito suspensivo para o garoto Pereira, o advogado do Alvinegro, Renato Brito, disse que iria conversar com a diretoria para definir se entra ou não com o pedido.

    CBN Diário