Carregando...
 
       
     
     
     
     
    A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 01/04/2016 13h41

    "Essa será uma das eleições mais judicializadas da história do Brasil", diz ministra do TSE em Florianópolis

    Luciana Lóssio esteve nesta sexta-feira de manhã no Seminário Eleitoral promovido pelo Ministério Público Estadual

    Ministra Luciana Lóssio

    Foto: betina /Agencia RBS

    A orientação sobre as leis eleitorais para as disputas municipais que ocorrem em outubro deste ano no Brasil é o principal objetivo do 3º Seminário Eleitoral que começou hoje em Florianópolis e deve se estender até o fim de julho em outras regiões de Santa Catarina. Na abertura oficial do evento, estiveram presentes o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, e a ministra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luciana Lóssio, além de representantes da Justiça e do Ministério Público do Estado.

    Em seu discurso no evento, Luciana destacou as mudanças aprovadas recentemente no Congresso Nacional e que devem impactar diretamente nas eleições de outubro deste ano.

    — Essas eleições municipais de 2016 serão únicas e especiais, porque da mesma forma que em 2012, quando tivemos pela primeira vez a aplicação da Lei da Ficha Limpa, agora teremos importantes mudanças também no cenário legislativo, que trazem um desafio muito grande para a Justiça Eleitoral e candidatos — ressaltou a ministra.

    Ela citou que agora o prazo para campanha será de 45 dias de campanha e 35 dias na rádio e TV. Luciana acredita que outro grande desafio para todos os candidatos será o financiamento de campanhas eleitorais:

    — Porque não teremos mais financiamento de pessoas jurídicas, e ainda teremos a necessária observância ao limite de gastos já divulgado pelo TSE fazendo com que muitos vereadores tenham aí um limite, por exemplo, de gastar R$ 10 mil numa campanha. Muitos prefeitos têm um limite de centos e poucos mil reais para gastar numa campanha eleitoral.

    A ministra destaca que este será um desafio por conta da "letigiosidade" que pode se tornar esta eleição.

    — Haverá um controle muito grande por parte dos candidatos e será facilmente aferida a constatação daquele candidatos que está ou não ultrapassando o seu limite. Então nós temos uma expectativa de que será uma das eleições mais judicializadas da história do Brasil.

    Ministro do STF responsável pelos processos da Operação Lava-Jato, o catarinense Teori Zavascki não falou sobre o assunto no evento. Ao deixar a sede do Ministério Público, também não quis conceder entrevistas.

    Ao discursar, Zavascki disse que, diante da situação política atual, tudo indica que o povo irá às urnas com mais consciência e responsabilidade cívicas.

    Diário Catarinense