Carregando...
 
       
     
     
     
     
    A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 11/06/2019 9h51

    Dorival Júnior será observador técnico durante a Copa América

    Objetivo da Conmebol é fortalecer o futebol sul-americano, explica o treinador

    Foto: Ronaldo Fontana /CBN Diário

    O técnico Dorival Júnior vai atuar como observador técnico da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) na Copa América, que começa nesta sexta-feira (14). A missão faz parte de um projeto maior: recuperar o poder de força do futebol do continente diante dos europeus. 

    — Quem tem de ensinar o mundo a atacar são os sul-americanos — exemplificou Dorival, entrevistado no Estádio CBN Diário realizado na noite de segunda-feira (9), no restaurante Santo Antônio Parrilla, em Santo Antônio de Lisboa. 

    A Conmebol formou grupos de trabalho para discutir o fortalecimento do futebol sul-americano, que nos últimos 20 anos viu o europeu se distanciar. A observação da Copa América faz parte da construção de uma "didática" própria do futebol do continente. 

    — Seremos oito profissionais, um de cada país, fazendo observações. Eu vou observar Japão e Peru, ao longo da primeira fase, elaborando um resumo do que tenha visto e, ao final da competição, um apanhado geral das tendências da competição, aí sim, de todas as equipes. Eu vi que a Conmebol está querendo mudar, percebeu a distância que existe do futebol europeu para o sul-americano.

    Uma das preocupações é a perda precoce de talentos para o futebol europeu. 

    — Em cada clube grande europeu, temos seis jogadores sul-americanos. Está na hora de nossos clubes se fortalecerem um pouco mais e venderem os jogadores quando acharem que devam vender, e não pela necessidade. 

    Em compensação, treinadores brasileiros não têm espaço lá fora. 

    — O reconhecimento da licença dos técnicos brasileiros nos preocupa. Não podemos atuar na Europa. Um treinador indiano é reconhecido pela Europa. No Brasil temos uma carga horária de curso maior do que na Europa e não temos esse reconhecimento. 

    No âmbito interno, Dorival elogia o trabalho de técnicos promissores, como Fernando Diniz (Fluminense), Tiago Nunes (Athlético-PR), Eduardo Barroca (Botafogo) e Maurício Barbieri (interino no Flamengo) e vê um crescimento da estabilidade.

    — Temos grandes trabalhos no país. Fico feliz de neste Campeonato Brasileiro, pela primeira vez, ter poucos profissionais (técnicos) saindo das equipes. O próprio Sampaoli comentou outro dia que é muito difícil no Brasil porque você trabalha com o resultado da semana seguinte, e futebol não é assim.

    Para o técnico, o futebol brasileiro está retomando o conceito de ter a posse de bola, em detrimento do "defensivismo". 

    — Fico feliz de estar vendo várias equipes jogando um futebol com equilíbrio, querendo muito mais a bola, para envolver seu adversário. Isso sempre foi a essência do futebol brasileiro e. em determinado momento, acabamos perdendo. Esse sinal de resgate é importante.  

    Dorival também comentou as arrancadas de Avaí e Figueirense no Campeonato Brasileiro. Ouça o programa: