Carregando...
 
       
     
     
     
     
    A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 19/12/2018 17h15

    Dívida do Figueirense cresce com Vernalha e atinge os R$ 100 milhões

    Problemas financeiros marcaram o ano do Furacão

    Foto: Marco Favero /Diário Catarinense

    A dívida global do Figueirense cresceu durante a gestão de Cláudio Vernalha e supera a casa dos R$ 100 milhões. O valor era de cerca de R$ 80 mi no início da gestão do agora ex-presidente. A informação foi confirmada durante a primeira entrevista da nova diretoria alvinegra, realizada nesta quarta-feira (19) na loja Figueira Store do Estádio Orlando Scarpelli. 

    — Em torno disso (R$100 milhões), um pouco mais. Estamos fechando o balanço agora para chegar nos números certos. Existe um contrato que temos que zelar pelos valores que estão acordados, já que Vernalha está passando a gestão para Honigman. A partir daqui são responsabilidades nossas os valores assumidos - confirma o diretor de administração e finanças Diogo Martins.

    Cláudio Honigman assume o Figueirense com o discurso de uma gestão austera e responsável. Sem prometer grandes investimentos, ele afirma que a regularização financeira deve iniciar na prática na próxima semana, além de ter anunciado a renovação de patrocínio com a Liderança Serviços e ampliação da parceria com o Grupo Fontes, do empresário João Neto.

    — O fato de ter uma dívida acima de R$100 milhões nós vamos equacionar. Vamos pagar, vai ser duro no início, mas vamos pagar. Costumo falar nas conversas com o Cláudio (Honigman) que o Flamengo era um clube que devia R$ 1 bilhão e hoje dá lucro. Temos que reconstruir a credibilidade para isso virar um fato no Figueirense — pontua o novo diretor de planejamento e relações institucionais Murilo Flores.

    Ouça a coletiva da nova diretoria na íntegra:

    CBN Diário