Carregando...
 
       
     
     
     
     
    A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 03/10/2018 10h29

    "Crime que passou a ser mais visível", diz juiz após decretar prisão preventiva a homem acusado de importunação sexual em Florianópolis

    Foto: Diorgenes Pandini /Agência RBS

    "Agora, é um crime que passou a ser mais visível": esta foi a forma que o juiz Rafael Brüning, da 4ª Vara Criminal de Florianópolis, referiu-se após caso de um homem acusado de passar a mão por baixo da roupa de uma passageira dentro do ônibus e que foi flagrado por outras pessoas. O magistrado decidiu converter a prisão do suspeito em preventiva. A decisão já leva em conta a lei recém-sancionada no país – há pouco mais de uma semana –e passou a considerar a ocorrência como crime de importunação sexual. 

    – Antes, esse tipo de caso era considerado contravenção, chamada de "importunação ofensiva ao pudor", e gerava apenas multa. Agora, passou a ser um crime com pena de um ano a cinco anos de prisão – destaca o juiz. 

    O que mais chamou a atenção é que o homem já tinha, pelo menos, nove ocorrências semelhantes em coletivos da cidade. Ouvido em audiência de custódia, ele disse não ter endereço fixo. O magistrado entendeu que, em liberdade, o suspeito colocaria em risco a ordem pública para determinar a prisão preventiva. O homem foi levado para o presídio da Capital. O caso corre em segredo de justiça. 

    Ouça a entrevista do juiz Rafael Brüning para o Notícia na Manhã, com Renato Igor: 

    CBN Diário