Carregando...
 
       
     
     
     
     
    A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 11/10/2018 13h49

    "Contestar as urnas eletrônicas virou um projeto político", afirma presidente do TRE-SC

    Justiça Eleitoral já identificou elementos e fontes produtoras e disseminadoras de notícias falsas

    Foto: Tiago Ghizoni /Diário Catarinense

    A contestação às urnas eletrônicas se tornou um projeto político. A afirmação é do presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC), desembargador Ricardo Roesler. O TRE acionou a Polícia Federal para investigar a disseminação de notícias falsas sobre fraudes na votação eletrônica.

    — Essas notícias falsas viraram contra a Justiça Eleitoral no dia das eleições, para denegrir o processo, e passaram dos limites. Essas pessoas serão chamadas em inquérito policial para apresentar provas. O Ônus da prova é de quem alega. Se eu alego que existe fraude eu tenho de provar.

    O presidente do TRE-SC ressalta que há situações de pessoas que tiverem dificuldades para votar, pela complexidade do processo. Para esses casos, o Tribunal promete atuar na orientação de eleitores e mesários.

    A Justiça Eleitoral já identificou indivíduos e fontes produtoras e disseminadoras de notícias falsas, inclusive fora do estado de Santa Catarina, que foram repassados à Polícia Federal, com vistas à apuração das condutas apontadas e à identificação dos responsáveis.

    — O antídoto para a desinformação é mais informação — afirma Roesler.

    Ouça a entrevista do presidente do TRE-SC:

    CBN Diário