Carregando...
 
       
     
     
     
     
    A
     
     
     
     
     
     
    - Atualizado em 20/03/2017 11h42

    Colombo se reúne com secretários para avaliar impactos da operação Carne Fraca em SC

    Reflexos da ação da Polícia Federal preocupam governador do Estado

    Reunião deste domingo em Florianópolis

    Foto: James Tavares /Secom

    Assim como em Brasília, a operação Carne Fraca e seus impactos na economia mobilizaram autoridades neste domingo. O governador Raimundo Colombo (PSD) se reuniu em Florianópolis com secretários estaduais durante a tarde para avaliar o cenário atual diante da possibilidade de alguns países cancelarem a compra da carne brasileira, como cogitou-se desta a sexta-feira.

    Estiveram como Colombo neste domingo os secretários da Agricultura, Moacir Sopelsa, da Fazenda, Antonio Gavazzoni, da Casa Civil, Nelson Serpa, e da Comunicação, João Debiasi, o secretário-adjunto da Agricultura, Airton Spies, e os presidentes da Cidasc, Enori Barbieri, e da Epagri, Luiz Hesmann. Segundo a assessoria de imprensa do governo do Estado, o governador manteve contato com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi durante o dia.

    Na reunião, o presidente da Cidasc, Enori Barbieri, garantiu que as 600 empresas de produção de carne no Estado têm um médico-veterinário responsável pela inspeção.

    — Santa Catarina construiu durante os anos, com muito sacrifício, um sistema que é referência no mundo. Fomos atingidos fortemente por essas denúncias de fiscais que se corromperam, nenhum aqui de Santa Catarina, e algumas plantas que produziram produtos que ainda estão sendo checados se tinham irregularidade ou não — afirmou Colombo.

    O governador disse ainda que aqui no Estado apenas uma das 600 produtoras de carne está sendo investigada na operação:

    — Aqui no Estado, tem apenas uma que está sendo investigada, que é uma pequena salsicharia.  Agora o estrago é muito grande porque vendemos para mais de 150 países. Nossa economia depende muito das exportações, e elas estão sendo avaliadas pelos países que compram nossos produtos.

    Nesta segunda-feira à tarde, na Casa da Agronômica, o governador se reúne com entidades envolvidas na produção de carne no Estado.

    Diário Catarinense